sexta-feira, 9 de outubro de 2009

KARDINALL OFFISHALL - OL' TIME KILLIN/ MAXINE

Pra não ficar falando só da galera de mil novecentos e lá vai bolinha, esse mc/produtor quem me apresentou foi o Anão do Variuz, primeiro cut que ouvi foi o Maxine... em cima do Stalag Riddim, bom, nem precisa dizer que entrou na seleta e não saiu mais. Kardinal Offshall aka Jason Harrow, fez uma coisa que poucos caras fizeram, colocou o hip hop em outro nível, subiu o degrau e sabe disso, ouviu da boca de fans, de artistas do mainstream como Dj Premier, Method Man, Pharoahe Monch. Apesar de não ser tão conhecido aqui no Brasil (busquei infos no google e não aparece nadica de nada).

O descendente Jamaicano enraizado em Toronto, pois é, não é de Nova Iorque, nem de Los Angeles, o cara é de Toronto. O MC/Produtor de Toronto (conhecido também por “T-Dot”) aos 24 anos fez sua “foundation” e está se colocando cada vez mais em um nível mais alto.

Kardinal diz em uma entrevista “Eu não quero mudar o hip hop de uma forma tangível, como se fazer minhas batidas com uma fórmula pronta. Eu quero mudar as pessoas pelo processo de criação e energia enquanto as pessoas fluem quando pensam no hip hop. Eu quero trazer alguma coisa concreta e consciência de volta pra música, quero voltar a trazer de volta a energia que dirige e inspira pessoas” – será que você ouviria um dia o 50 Centavos falando alguma coisa parecida?! – difícil!!!!!!

Em agosto de 2000 Kardinal assinou com a gravadora MCA (Talib Kwali chama de Music Cemetery of America.”) - após passar longos anos na independência. Lançou seu primeiro trabalho com o nome de Firestarter, o intuito sempre foi o de manter um trabalho constante inspirado em artistas como EPMD, Public Enemy que tiveram uma larga longevidade em suas carreiras. O primeiro disco saiu com o nome de “Firestarter Volume 1: Quest for Fire.” – “volume 1 é a ignição para o fogo”, diz Kardinal. O álbum surgiu da idéia de dar uma mudada na cena clichê do Rap atual, e o intuito de tornar o trabalho como um dos estandartes do novo movimento que acontece hoje.

Kardinal, mudou muitos conceitos, colocando suas raízes jamaicanas do Dancehall no Hip Hop e vice versa, parcerias com Sean Paul. Bounty Killer, dentre outros mc’s e rappers, colocam ele em uma posição que a música dele pode ser tocada numa festa de hip hop como em uma festa de sons jamaicanos, espaço não falta. Seria bom os artistas daqui se inspirarem a seguir o mesmo rumo, eu teria mais músicas de artistas nacionais pra tocar nas festas.

Seu trabalho seguinte foi “Kill Bloodclot Bill” uma paródia com o filme de Quentin Tarantino “Kill Bill”, destaque pra musica “Bang Bang”. Da uma uma olhada no video Ol Time Killin, no finalzinho do clip tem um trechinho de Maxine.. M U R D E R.

DEIXE SEU COMENTÁRIO AQUI NO SITE

DISQUS NO FYADUB | FYASHOP

O FYADUB | FYASHOP disponibiliza este espaço para comentários e discussões das publicações apresentadas neste espaço. Por favor respeite e siga o bom senso para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas... PS. DEUS ESTÁ VENDO!