Pesquisa no FYADUB | FYASHOP

quarta-feira, 28 de março de 2012

BIBLIA DO CAOS: NOVO EVANGELHO por Millôr Fernandes (RIP)

"Morrer é uma coisa que se deve deixar sempre para depois" - Millôr Fernandes (1923 - 2012) RIP

BIBLIA DO CAOS: NOVO EVANGELHO por Millôr Fernandes



I

XX.
A verdade é que os de cima realmente não trabalham. Não vamos tergiversar, trabalhar é dar duro, é suar, é fazer coisas que não são agradáveis, nem ocasionais, "faço hoje, depois faço quando me der na telha". Pois é, os de cima, que não trabalham, não produzem dinheiro. Em compensação têm todo o tempo pra bolar esquema de tomar o dinheiro dos que estão por baixo e trabalham, e dão duro, e suam, e fazem, continuadamente, coisas que não são agradáveis. E, para tomarem esse dinheiro que não lhes pertence,os de cima inventam palavras nobres, como mordomia, financia, ideologia, macroeconomia e constituinteria.

XIX.
A cada dia que passa, permissividade ou não permissividade, censura ou não censura, continua sendo imoral se discutir em público, em todos os meios, o tamanho do mandato do Presidente.

XVIII.
Precisamos rever todos os princípios da Justiça. A Justiça que aceitamos é tão complicada, tão cheia de burocracia, que, acreditamos, dentro em breve ninguém mais terá coragem de ser malfeitor.

XVII.
Este país não pode melhorar enquanto o governo gastar todo o seu dinheiro na propaganda da rosca e a oposição colocar todo seu esforço na condenação do furo

XVI.
Não se assuste porque no Brasil cada vez há mais desempregados, mais famintos e mais violência. Está provado que é o clima.

XV.
Não devemos odiar com fins lucrativos. O ódio perde a sua pureza.

XIV.
Não hesite quando, no caminho da sua vida, você encontrar uma bifurcação; siga em frente.

XIII.
Depois de teimosa e solitária antevisão, lutando contra tudo, gastando meses de preparação, usando de alta técnica, pondo dentro de sua embarcação um membro de cada espécie existente, enfrentando quarenta dias de navegação em águas violentas, Noé conseguiu , afinal, salvar a humanidade da extinção. Sozinho, contra todos, até Deus, pois las intenciones de Dios eram bien conocidas. Imediatamente passou a ser chamado de ante-diluviano. Assim vai a ingratidão humana.

XII.
Enquanto uma verdade existe por si mesma, por aí, metafísica, pairando no ar ,incerta e viva, tudo bem. Mas, desde que é apreendida por uma cabeça humana, sofre um processo de alteração irreversível, a refração de cada cabeça nova que por via direta ou indireta, toma conhecimento dela, e a transforma e conspurca. E está poluída pra todo o sempre.

XI.
Moderno. Moderno em relação a quê? Moderno é apenas um pressuposto cronológico. Se o rádio tivesse sido inventado depois da televisão as crianças sairiam correndo, maravilhadas: "Mamãe, mamãe, inventaram uma televisão sem cara!"

X.
Vocês têm que aprender de uma vez por todas que os "X Mandamentos" nunca pretenderam ser restrições. Eram meras sugestões.

IX.
Meninas, vocês não fiquem o tempo todo aí sentadas, limpinhas, comportadas, respeitando pai e mãe, sem nenhum excesso sexual. O que é que vocês fazem de tudo que aprenderam nos programas de televisão?

VIII.
A todos os verdes: Só se controla a natureza controlando a natureza humana.

VII.
Temos sempre que meditar que muitos séculos passaram desde os primeiros tempo bíblicos, e que, por isso, os ensinamentos devem ser remeditados. Temos que estar atentos a quando os cegos falam com as mãos e os surdos escutam com os olhos".

VI.
Ao emprestar sempre nos arriscamos. Na operação é prudente somar o tempo gasto, o peso do dinheiro, e a umidade relativa do ar.

V.
Quem deve a João e empresta a Tomás, sempre deve mais.

IV.
O homem é um ser admirável, criado pelo sopro de forças metafísicas extraordinárias, usualmente conhecidas pelo codinome Deus. De esforço em esforço conseguiu sair da escala puramente animal, galgando os galhos da árvore da ciência, do tacape à baioneta, da arma de fogo rudimentar ao canhão, do canhão à bomba de hidrogênio, dos mísseis intercontinentais à guerra nas estrelas. Para sua felicidade permanente só resta ao homem passar da ciência à consciência, e evitar a volta ao tacape.

III.
O problemas da redação constitucional, é que quando o legislador especifica; "Não cobiçarás a mulher do próximo", está automaticamente autorizando a cobiça de todas as outras.

II.
A Babel começou com todo mundo falando a mesma língua. Quando Deus quis que os homens se desentendessem, fez cada um falar uma língua diferente. E os guias do Povo que já começam assim?

I. 
Deus é realmente um ser superior. Não há nada nem parecido no Governo Federal.



II

XX.
Todos sabem que a pena de morte não diminui o número de assassinos e assassinatos. Mas todos sabem que cria mais alguns: os carrascos.

XIX.
Prudência: E devemos sempre deixar bem claro que nenhum de nós, brasileiros, é contra o roubo. Somos apenas contra ser roubados.

XVIII.
Toda hora eu vejo, em jornais, revistas, televisão, e na rua, pessoas cada vez mais "livres" de preconceitos e... E, no entanto, todas estão convencidas de que a Terra gira em torno do Sol. Por quê? Pergunte a elas e elas responderão: "Ué, Galileu provou isso, há muito tempo" Provou pra quem, meu bem?, repergunto eu."Pode ser que tenha provado pros cientistas. O homem comum, e mesmo nós, pejorativamente chamados intelectuais, aceitamos, e pronto. Sem pensar. Preconceituosamente. Como antes de Galileu acreditávamos que o sol girava em torno da terra. Mas entre Galileu, de cujas "provas" nunca tomamos conhecimento nem sabemos dizer quais, e a realidade, que, literalmente, salta (gira) a nossos olhos, temos que acreditar é em nossos olhos. Nossos olhos vêem, com absoluta certeza, que o sol nasce ali (a leste) e morre do outro lado (a oeste), girando em torno de uma terra absolutamente parada (terremotos à parte), sobre a qual caminhamos sem sentir o menor movimento. Pra mim o sol gira em torno da terra. E estamos conversados.

XVII.
Você, que gosta de provérbios, e até segue os seus conceitos, cuidado! Eles andam muito poluídos:

- Nunca digas: "Desta água não beberei." Mas ferve antes.

- O que os olhos não vêem o coração não sente. Mas o intestino acusa.

- Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém, desde que a galinha não seja alimentada de ração com aditivo químico.

- De lá pra cá muita bosta passou por baixo da ponte.

- Cão que faz cocô na praia não morde.

- Mais vale um pássaro voando do que dois na mão envenenados por monóxido de carbono.

- Devagar se vai ao longe, mas não com o reboco do Túnel Rebouças caindo na cabeça como acontece todo dia.

- Mata a cobra e mostra a lata de pesticida.

- Diz-me com quem andas e eu te digo se vais pegar aids ou não.

- Águas estagnadas não movem moinhos.

- De grão em grão a galinha morre intoxicada.

- Filhos criados, tudo drogado.


XVI.Tirésias
Outro de meus mitos favoritos é Tirésias, o sábio, o profeta, o adivinho cego de tantas historias e tantas peças gregas. Que Tirésias era cego e adivinho todos sabem. Mas a história de como virou ambas as coisas é menos conhecida; um dia Tirésias ia passando por uma espécie de Pantanal do Olimpo e viu Atenas tomando banho nua. Atenas, indignada, atirou-lhe água em cima, transformando-o em mulher (*) durante sete anos. E, como ele insistisse em olhar, Atenas atirou-lhe água também nos olhos, cegando-o. Mais tarde, arrependida, e não tendo mais o poder de restaurar-lhe a visão, a deusa restaurou a masculinidade de Tirésias (**), dando-lhe o poder divinatório e a compreensão da linguagem dos pássaros. Magra compensação. Tempos depois, passando em meio aos deuses Juno, Júpiter e ApoIo, que discutiam ardentemente sobre quem obtinha maior gozo numa transa, o homem ou a mulher, Tirésias, que tinha experiência de ambos os sexos, foi chamado a opinar. E não vacilou - declarou que a mulher gozava 10 vezes mais. 
Moral: Pelas loucuras que já vi muitas fazerem por tão pouco, dou plena razão a Tirésias. 
(*) Uê. isso era castigo? Ô mitologia mais machista! (**) Ah, era castigo mesmo!

XV.
A Grande Muralha da China vai do Mar Amarelo até a Ásia Central. É o maior monumento arquitetônico do país, iniciado pelo Imperador Chin Shih Huang Ti, logo depois que conseguiu unificar o império (246 A.C. ou por aí). Sistema defensivo importante até hoje, a Muralha é feita de terra e pedra, varia de 6 a 10 metros de altura, tem revestimento de tijolo e caminho central com 4 metros de largura (eu medi tudo). De trechos em trechos há torres, de onde se emitiam sinais de fumaça, durante o dia, e de fogo, durante a noite, avisando qualquer perigo. Está intimamente ligada à paisagem, integrada na natureza, acompanhando sempre as ondulações do solo. Tem 2.400 quilômetros de extensão (não medi)) "É a maior e a mais monumental expressão da absoluta confiança dos chineses em muralhas" (Bush está imitando, Israel também, a União Soviética já imitou e não deu certo). Mas a Grande Muralha é apenas o mais famoso muro da China. "Muralhas, muralhas, e muralhas são parte fundamental de toda cidade chinesa". Cercam as cidades, dividem-nas em lotes e bairros, marcam a estrutura e a importância da comunidade. Não há verdadeira cidade que não seja cercada por muralha, condição expressa no fato de que os chineses usam a mesma palavra, ch'eng, pra cidade e muro da cidade. Pro chinês uma cidade sem muralha é tão inconcebível quanto uma casa sem teto.

XIV.
Aprenda de uma vez: Se você acordou de manhã é evidente que não morreu durante a noite. A felicidade começa com a constatação do óbvio.

XIII.
Ao anúncio de uma vazão nuclear, não entre em pânico. Corra velozmente pro primeiro banco que encontrar e consiga, de qualquer maneira, com qualquer juro, em quaisquer condições, um empréstimo de no mínimo cinqüenta milhões. Depois disso os banqueiros protegerão você contra qualquer espécie de radiação.

XII.
Brasil, Século XXI: É preciso sempre muito cuidado com o que acontece entre as intenções e as conseqüências. Quando os 130 milhões de cidadãos se colocaram diante daquela montanha aparentemente intransponível e começaram a gritar em coro: "Abracadabra amplo, geral e irrestrito, abre-te, Sésamo!", deu-se o milagre da abertura. Mas logo todos perceberam que estavam apenas abrindo a caverna para Ali- Babaka e seus 400 ladrões.

XI.
Cada vez sou menos consumidor. Consumo em restaurantes mais pelo contacto com os amigos - vou a cinemas, compro material de trabalho. Meu automóvel já tem 10 anos. Claro, sou favorecido por pessoas que me cercam, complementam minha alimentarão, ocasionalmente compram até minhas roupas e sapatos. Mas não tenho o menor prazer em fuçar lojas, adquirir gadgets, etc. Porém sempre achei de uma tristeza absoluta cidades socialistas com suas ruas cinzas, e de grande beleza certas ruas e edifícios de Paris, Nova Iorque, Rio - qualquer grande cidade capitalista com suas vitrines lindíssimas. Cheguei a criar um postulado: Socialismo com vitrine. Contudo, nossa emoção estética, ao apreciar uma vitrine, é inconscientemente diminuída por conhecermos o comercialismo que está por trás daquilo. Mas, já imaginaram um marciano chegando à terra e acreditando que tudo que vê é resultado apenas da vontade de cada um fazer sua casa mais deslumbrante para quem passa?

X.
Estatística mostra que este ano, com a recessão, aumentou em 60% o roubo nos bancos brasileiros. Não diz de que lado.

IX.
Feliz é o que voce percebe que era, muito tempo depois.

VIII.
Nunca esteja muito seguro de que resolve as coisas melhor do que ninguém e mais rapidamente. O mal da gente agarrar o boi pelos chifres é depois não conseguir largar.

VII.
Ética, ética, ética é que defendemos sempre na profissão jornalística. O direito de resposta é uma coisa fundamental. Sagrada. Senão a gente fica até imaginando que o outro lado pode ter razão.

VI.
Representação é o alucinógino da organização social chamada democracia. Temos 479 representantes de nossas necessidades e ambições sociais - 479 deputados! Uma sociedade precisa de tantos? Por que não diminuir para 10? Ou melhor, nenhum?

V.
Temos todos que recusar veementemente aceitar uma justiça que também dá razão aos outros.

IV.
A Babel, ninguém ignora, começou com todo mundo falando a mesma língua. Quando Deus quis que os homens se desentendessem, fez cada um falar uma língua diferente. Mas foi aí que eles se entenderam mais e começaram a negar o Todo-Poderoso.

III.
Devemos apoiar os liberais no poder, que insistem que a economia é assunto a ser resolvido entre produtor e consumidor. Bem, desde que eles aceitem que assassinato também é assunto a ser resolvido apenas entre assassinado e assassino.

II.
O jornalista deve ser cético pra que o leitor não se torne cético com relação ao jornalista.

I.
Estamos seguros de que mais vale um pássaro voando do que dois na mão, cão que ladra só não morde enquanto ladra, e, se o hábito não faz o monge, fá-lo parecer de longe. Por isso a cavalo dado deve-se olhar os dentes com atenção redobrada.



III

XX.
A certeza de que eu falo com a absoluta sinceridade os senhores poderão verificar consultando minha conta bancaria. É um dos saldos médios mais altos deste país. Porém, mesmo sem ser moralista, ou sendo apenas um moralista das quantas, às vezes acho o dinheiro muito chato (ou perturbador) mas ainda assim não estou inclinado a pagar alguém pra gastar algum por mim.

XIX.
Andei catando informações:

A Grande Muralha da China vai do Mar Amarelo até a Ásia Central. É o maior monumento arquitetônico do país. Construção iniciada pelo Imperador Ch'in Shih Huang Ti, logo depois que conseguiu unificar o império (246 A.C. ou por aí). Sistema defensivo importante até o sec. 000(!), a Muralha é feita de terra e pedra, varia de 6 a 10 metros de altura, tem revestimento de tijolo e caminho central com 4 metros de largura. De trechos em trechos há torres, de onde se emitiam sinais de fumaça, durante o dia, e de fogo, durante a noite. Está intimamente ligada à paisagem, integrada na natureza, acompanhando sempre as ondulações do solo. Tem 2.400 quilômetros de extensão (1) "É a maior e a mais monumental expressão da absoluta confiança dos chineses em muralhas" (2). Mas a Grande Muralha é apenas o mais famoso muro da China. "Muralhas, muralhas, e muralhas são parte fundamental de toda cidade chinesa" (3). Cercam as cidades, dividem-nas em lotes e bairros, marcam a estrutura e a importância da comunidade. Não há verdadeira cidade que não seja cercada por rnuralha, condição expressa no fato de que os chineses usam a mesma palavra, ch'eng, pra cidade e muro da cidade. Pro chinês uma cidade sem muralha é tão inconcebível quanto uma casa sem teto. Falei!

(1) mais da metade do Brasil no sentido norte-sul. (2) Enciclopédia Britannica,1952. (3) Idem.

RESPONDA DEPRESSA: A China é ou não é o país ideal para os Tucanos?

XVIII.
Proudhon dizia que toda propriedade é um roubo. A elite brasileira acha que todo roubo é uma propriedade. Patriotismo é quando você ama seu país mais do que qualquer outro. Nacionalismo é quando você odeia todos os países, sobretudo o seu.

XVII.
Gabriel

Talvez alguém lembre de um meu personagem cult; Átila. Estou convencido de que Átila é um dos maiores personagens da História. Sem dúvida o mais injustiçado. Passou à História como "bárbaro" e "flagelo de Deus". Os romanos, sobretudo já na decadência, eram menos "bárbaros" e menos "flagelos"? Acontece que todos os historiadores da época eram romanos. Você conhece algum historiador huno?

Hoje falo de outro personagem de minha predileção; o arcanjo Gabriel.

Minha admiração vem do que ficou na minha memória, uma visão impressionista (não chequei dados) da sua incrível ubiqüidade de ação. Lembra até o ex-Presidente Collor e o atual Lula, se ele permite a heresia. Gabriel aparece nas bíblias com nomes como o Anjo da Morte e Príncipe do Fogo e do Trovão, mas o que eu gosto mesmo é de sua constância como mensageiro. Uma espécie de Miguel Strogoff bíblico. Sobretudo como arauto de nascimentos. Nessa função, talvez facilitada por falar fluentemente siríaco e caldaico, anunciou o nascimento de Sansão, o de João Batista e, todos sabem, anunciou Jesus a Maria. Sem esquecer que estava lá, firme, no tremendo sarro do Santo Sepulcro, na hora da Ressurreição. Dizem que, quando as três Marias chegaram com a mirra, encontraram a pedra removida e a tumba vazia.

E, aí, um anjo de veste branca fulgurante, que tinha chegado antes - era ele! -, lhes disse que Cristo já tinha saído, e aconselhou-as a levar a notícia aos Apóstolos.

Mas (agora verifico) antes já tinha destruído os hóspedes de Senaqueribe, explicado a Daniel (o dos leões) alguma de suas visões, mostrado o caminho do Egito a José, e ajudado a enterrar Moisés.

Incansável, ainda é Gabriel que, seis séculos depois, está lá, em Meca e Medina, ditando o Corão pra Maomé. E não fez por menos - recitou as 114 suras ao som de sinos, com absoluta precisão, em ordem decrescente. Quando Maomé morreu foi ainda Gabriel quem ajudou a levá-lo pro sétimo céu montado no Borak(*).

Em tempo: Consulto agora o Smith's Bible Dictionary. Segundo essa pequena obra-prima, o evangelho de Lucas, o livro de Daniel e a tradição judaico-cristã tratam Gabriel como um dos arcanjos, individualizado. Mas, na Escritura, Gabriel designa apenas a função angélica de ministrar conforto e simpatia aos seres humanos. Em suma - os arcanjos seriam todos gabriéis. Donde a ubiqüidade.

Guardo minha admiração mitológica, continuando a ver Gabriel como um superarcanjo.

(*) O Borak, pra quem gosta de jóquei, tinha cara e voz humanas, olhos brilhantes como estrelas, asas de águia, e brilhava permanentemente com luz radiante.

XVI.
O Paraíso, ninguém discorda, é a maravilha da criação divina. Mas por que Deus povoou isto aqui com seres humanos, e não deixou apenas, como querem os Verdes, o mico-leão-dourado?

XV.O reto destino

Quando uma jovem nasce extraordinariamente bem-dotada de recursos evidentes, ainda que nem tanto de sutilezas intelectiformes;

Quando essa mesma jovem cresce e aparece, aparece muito, porque é impossível se fazer não ver com tudo que se tem pra mostrar;

Quando ela é convidada, e muito convidada, sobretudo praqui e prali.

E assim vai a todos os lugares, sobretudo os indevidos, conhece todas as pessoas, vive a vida gaia e deslumbrante dos que podem, justamente porque os que não podem não estão aqui, estão lá, suando, maisvaliando, pra que os que podem possam mais;

Quando tudo isso acontece, a jovem será cada vez mais cortejada e usufruída, levará um vidão que nem vos conto, nem vos digo, desde as 11 da manhã, quando se levanta no hotel de luxo,ou na praia da moda, passando pelas horas do iate supimpa ou do almoço em décors insofismáveis, até as noitadas que só terminam quando a própria noite termina e ela vai pros braços dos Morfeus; bem, aí ela pode se dizer feliz. Muito feliz.

XIV.
A primeira vez em que um publicitário me falou em house-orgão, eu pensei que se referia ao pinto de seu pai.

XIII.
De tempos pra cá o pessoal usa muito esse termo, gratificação, querendo emprestar a ele o sentido de lúdico, nobre. Mas acho que, o que lhes agrada mesmo continua sendo 12%.

XII.
O Paraíso, ninguém discorda, é a maravilha da criação divina. Mas por que Deus povoou aquilo com seres humanos, e não deixou lá, como querem os Verdes, apenas o mico-leão-dourado?

XI.
Antes de aceitar participar num júri criminal, cuidado! Essa experiência é um teste brabo pra nossa capacidade de Julgar - nossa tendência é ficar sempre de acordo com quem falou por último.

X.
A primeira vez em que vemos o anúncio na tevê achamos meio esquisito. Um cara oferece a bebida pruma cara; "Já tomou?" Ela diz que não, ele força a barra, pergunta se gostou, ela está em dúvida, ele diz: "Você se acostuma." Perguntamos nós: "Se acostuma ou se vicia?" Tudo bem. Cigarro é assim, uísque é assim, Coca (até mesmo a legal) é assim, muiiita coisa gostosa (por exemplo, o pecado que não ousava dizer seu nome) é assim. E a propaganda pós-moderna é tão subliminal que muitas vezes a gente pensa que estão anunciando a calcinha quando estão vendendo é o absorvente. Sem falar das vezes em que a moça que faz o anúncio do dito é tão bonita e convincente que ficamos certos de que a menstruação é uma das grandes alegrias da existência.

IX.
Ia eu, no alvorecer da manhã (como diria o falecido Ibraim Sued), pelo calçadão de Ipanema, olhando sob meus pés aqueles bonitos mosaicos em pedras portuguesas. Aos poucos, sem me dar conta, pela transmutação sincrotônica na retina (êpa!), os desenhos foram virando quadrados, formando um tabuleiro de xadrez. Continuei correndo, fascinado, me sentindo um personagem de Alice no país das maravilhas. E, súbito, num estalo do Vieira, me veio uma saída brilhante, extraordinária, para um dos mais famosos lances de xadrez do Kasparov. Uma coisa especialmente inacreditável, pois não jogo xadrez.

VIII.Bode expiatório

Designação de uma pessoa sobre quem recaem todas as culpas. Uma vez estabelecido como bode passa a viver a síndrome' de "Um cão danado, todos a ele". A explicação está no Levítico: no Dia da Reconciliação o sacerdote lançava a sorte sobre dois bodes, um "para Jeová", outro "para Azazel'. O bode de Jeová era sacrificado e seu sangue borrifado sobre os fiéis, como mercê. Sobre o outro bode o sacerdote lançava todos os pecados do povo. Logo uma pessoa especialmente escolhida levava o bode pro deserto e o soltava ali. Por isso mesmo em algumas línguas, como o inglês, ele é chamado de Bode escapatório(*). O que poucos sabem é que existe também a expressão "Bode exultório", pessoa acima do bem e do mal, de quem se perdoa tudo e a quem se permite qualquer coisa. Como por exemplo... ah, deixa pra lá.

(*) Palavra puxa palavra: escapar, sair do perigo, vem mesmo de "deixar a capa" (quando a pessoa era agarrada pelo inimigo). A cadeia etimológica, até chegar ao português. é extremamente complexa mas comprovada.

VII.
"Mudou a medicina ou mudou o corpo humano?", me perguntam a toda hora. Só sei que até o século XIX a medicina só fazia sangria. Agora só faz tranfusão de sangue.

VI.
Repito: prestem ouvidos e vocês me darão razão quando recomendo ao Guiness Book of Records que inclua Sir Ney nesse livro. É como o único ser humano que comete erros de ortografia no ato de falar. Prestem bem atenção no próximo discurso e perceberão que ele fala Constituissão com dois esses.

V.
Quem defende o suicídio fingindo que não o defende, é Shakespeare, em TO BE OR NOT TO BE, o famoso solilóquio de Hamlet: "Pois quem suportaria o açoite e os insultos do mundo, a afronta do opressor, o desdém do orgulhoso, as pontadas do amor humilhado, as delongas da lei, a prepotência do mando, e o achincalhe que o mérito recebe dos inúteis, podendo ele próprio encontrar seu repouso com um simples punhal?"

IV.
Verifiquem se não é: ninguém fala mais entusiasticamente de livre-empresa e competição, de leis-de-mercado e "que vença o melhor" do que a pessoa que herdou tudo do pai.

III.
Honra seja feita, o Brasil não inventou a corrupção, o nepotismo, nem a burocracia pedante e autoritária. Tudo isso foi importado com o descobrimento. Vejam os senhores que falta faz a Reserva do Mercado

II.
Vão replantar árvores nos Carajás. Ótimo!. Por que não começar pela Avenida Brasil?

I.
A voz humana, seu som, e o que contêm, são muito mais importantes do que o resto da pessoa. É preciso que a televisão conserve a voz dos grandes atores estrangeiros e passe a dublar a imagem deles.



IV

XX.Probidade à prova

A certeza de que eu falo com a absoluta sinceridade os senhores poderão verificar, consultando minha conta bancaria. É um dos saldos médios mais altos deste país. Porém, mesmo sem ser moralista ou sendo apenas um moralista das quantas, às vezes acho o dinheiro tão chato (ou perturbador, não sei), que estou bastante inclinado a pagar alguém para gastar o meu por mim.

XIX.
Ó Tempora!

Seguindo Toynbee, fiz também minha precária avaliação da durabilidade ("mortalidade?") dos valores; o trabalho de artistas e homens de letras vive mais do que os feitos de homens de negócio, as conquistas dos soldados, as realizações de estadistas. O filósofo dura mais do que o historiador. Os profetas e os santos sobrevivem a todos.

E a perspectiva histórica - espécie de deformação, senão profissional, pelo menos psíquica de visão e projeção do pensamento, como é que fica? Pros homens comuns, homens de negócio e militares, a visão é quase a do dia a dia, com ocasional projeção para anos e décadas. Pra artistas, i.e., pintores, músicos, homens de letras, o cérebro abrange um espaço maior, gerações, mas tende a se aprofundar em sensitividade e psicologismo, e a se limitar no tempo. Já os historiadores projetam seu pensamento, naturalmente, em alguns milhares de anos. Os arqueólogos em muitos milhares de anos. Os geólogos abragem mais - milhões de anos. E os astrônomos só pensam mesmo na escala do googol (precursor do Google) e do ano-luz, ou seja, bilhões e bilhões de anos.

XVIII.
Cuidado, prudência, em todos os lances da vida é fundamental você saber o que está acontecendo. Por exemplo: quando você está muito mal e te levam pro CTI, você tem a mesma possibilidade de sobrevivência dum cara que vê o avião caindo e procura a saída de emergência.

XVII.
Em situações difíceis, e nem tanto, você poderá usar sempre estes argumentos básicos: 

• Meu amigo, acho que suas conclusões são perfeitamente discutíveis.• V.Ex. esta enganado; as estatísticas provam o contrário.• Ora, as estatísticas não provam coisa alguma!• Confesso que também já pensei dessa maneira.• O senhor está sendo deliberadamente parcial.• Bem, essa é uma maneira pessoal de ver as coisas.• Aparentemente o senhor está certo. Mas as aparências enganam.• Encarando as coisas desse modo chegaremos à conclusão que quisermos.• Mas o senhor deve concordar - o seu não é um ponto de vista científico.• Só tenho uma coisa a dizer, acho-o uma besta quadrada.

XVI.
Previna-se

Humilhado? O sistema, a máquina, a sociedade, o grupo de poder, ou lá que diabo seja, ou como se chame, o tem humilhado, e ultrajado muito, como ser humano e cidadão? Você não agüenta mais? Pois não agüente mesmo. Remeta imediatamente sua frustração, em papel timbrado ou fita gravada, para Palácio do Crepúsculo, perdão, Alvorada -, Brasília, D.F. (não mande e-mail que eles apagam). E aguarde sua C/C (conta corrupção) pelo reembolso postal.

XV.
Pode-se esganar todas as pessoas algum tempo. Pode-se engalanar algumas pessoas todo o tempo. Mas não pode engajar todas as pessoas todo o tempo.

XIV.
Lulinha, que é isso, garotão? Que má-criação! Sua mãe não lhe ensinou que não se trata assim os mais velhos? Nem os menos velhos? Olha, minha nona sempre me dizia: "Millôrzinho, nunca se deve xingar uma pessoa por condição humana da qual ela não tem culpa; "Velho! Capenga! Caolho!" Você só deve xingar por vícios ou defeitos adquiridos: "Cachaceiro! Mentiroso! Prefeito! Presidente!". Sábia dona Conceta di Napoli!

E, sobretudo, também não fique irritado com alguém agir em causa própria, guri. É caracerística humana. Nem todo mundo pode ser como você, e todo esse pessoal em volta, que só age em causas impróprias.

XIII.
Todos sabem que, ao passar da atividade, mesmo rotineira, para a inatividade absoluta, o ser humano sucumbe. Então não é melhor o sistema deixar os velhinhos trabalhando até morrer, em vez de ficarem enchendo o saco de todo mundo com essa palhaçada sinistra da aposentadoria?

XII.
O Clube dos Machões, de Minas, deve conceder imediatamente o título de Machão do Século ao ex-prefeito de Washington, aquele que pegou seis meses de cadeia por consumo de crak. Pois não é que, no dia de visitas à prisão, o simpático negão, já com mais de 50, foi visto praticando (sendo praticado) felácio (boquete ou chupetinha, em português castiço) num canto da sala de recepção? A coisa foi vista por mais de vinte visitantes devidamente escandalizados (sem falar que possivelmente invejosos). Como diria Niquita, minha amiguinha portenha, de 10 anos: "Me gusta por lo discretito, mamita."

XI.
I. Devemos ser gratos aos portugueses. Se não fossem eles estaríamos até hoje falando tupi-guarani, uma língua que não entendemos.

II. 
Está bem, lingüistas, se dois é ambos, porque três não é trambos?III. O “pois sim” e o “pois não” deveriam ser estudados profundamente por nossos políticos devido à louvável pecularidade de significarem exatamente o contrário do que dizem. Ou não.X.É preciso ter conhecidos que só conhecemos porque os vemos ao vivo, caras particulares, que nunca aparecem ou aparecerão nos meios eletrônicos de comunicação, em busca de popularidade, essa suprema vulgaridade.

IX.
Durante muito, muito tempo, nós todos, milhões de brasileiros tentamos civicamente, esforçadamente, ungidos em fé cívica, entender o que eles diziam no plenário, nas comissões e, sobretudo, nas mordomias. Ninguém, nenhum de nós, confessemos, conseguiu pescar bulufas do que tanto se transava na assim chamada Assembléia dos Eleitos da Nação. Mas, vimos, nem era pra. Esforçávamo-nos, inutilmente, pra ouvir e entender um Diálogo de Surdos com absurdos.

VIII.
Aviso a meus seguidores

Se, de vez em quando, o leite azeda por aí, não tenho nada com isso; a vaca não é minha. Escolham melhor na próxima vez.

VII.
Inflação? Afinal, o que é inflação? Bem! A carne anda cara: você deixa de comer carne. A fruta anda cara: você deixa de comer fruta. O legume anda caro; você deixa de comer legume. Aí só lhe resta comer macarrão todos os dias, porque massa ainda é uma comida barata. Um mês depois, você vai fechar a calça e vê que ela não fecha mais. Inflação é isso.

VI.
Estatuto da terra

Renovo e reitero (em épocas de MSTs e vanguardas do atraso)

I. Em nenhum caso poderão ser desapropriadas terras com menos de 200 milhões de quilômetros quadrados, a fim de evitar o minifúndio, que seria fatalmente ocupado pelos diminutos japoneses que o Japão vem produzindo especialmente com esse fito.

II. Serão totalmente desapropriadas as conversas terra-a-terra.

III. Certas regiões especialmente ricas em minérios continuarão em poder de seus atuais donos multinacionais. Mas o povo brasileiro poderá considerá-las Terras Prometidas.

IV. As terras indígenas ficarão apenas com aumentos progressivos dos impostos, proporcionais aos valores folclóricos das ditas Terras.

V. Não pagarão impostos: a) a terra de Siena; b) a terra-mãe; c) a terra que se junta aos montes enormes nas obras publicas, demolições e deslizes dos morros; d) crises políticas aterradoras.

VI. Os proprietários de terras aguadas e pantanosas estarão isentos de impostos sobre a terra, pagando-os apenas sobre a lama, cobras, sapos e lagartos.

VII. Em nenhum caso, o gravame impostal poderá exceder 3.700 vezes o valor da terra. A avaliação será feita por pessoas de reconhecido gabarito moral e alto conhecimento técnico, como por exemplo, advogados encarregados de aposentadorias, inspetores do Detran em causa própria, e cassados por corrupção com seus direitos plenamente garantidos pela falta de provas.

VIII. Os trabalhadores que ocultarem alguns quilômetros quadrados de terra com o fim de iludir o fisco e seus fiscais, serão considerados inidôneos pra usufruir verbas da reforma agrária. O mesmo acontecerá aos que não souberem explicar o que é agrária.

IX. Todas as terras devolutas serão distribuídas nos grandes centros urbanos, que è onde mais falta terra

X. Até a promulgação deste ato, não se aceitam aterros.

V.
A medicina fez gigantescos progressos nos últimos duzentos anos. Antigamente, a qualquer mal do paciente, fazia-se uma sangria. Hoje faz-se uma transfusão de sangue. Mas isso também deu aos médicos a prepotência de deuses.

Lembramos apenas um lamentável erro médico há tantos! em que essa prepotência teve conseqüências lamentáveis na vida do país. Vocês ainda devem estar lembrados de quando, no século passado, Tancredo Neves, o candidato eleito pela oposição ao regimem militar, ia tomar posse. Deu um treco lá nele e chamaram os médicos do Hospital de Base de Brasília. Opera aqui, opera ali, discute daqui, discute dali, corta aqui, emenda acolá, elegeram o Sarney. Deu no que deu.

IV.Análise

Durante anos fiz, na revista O CRUZEIRO (*), uma seção chamada Aprenda a ver as coisas, com criptos gráficos, imagens figurativas disfarçadas de modo que seja difícil, ou impossível, identificá-las. Quando o significado é identificado, descoberto, a sensação é "estética" e... engraçada. Por quê? Não procurem explicação em Freud, nunca vi ninguém que entendesse menos de humor. Ou em O Riso, de Bérgson: também passa longe do fenômeno. Nem esperem que eu explique nada, humor é inexplicável.
(*) Revista semanal extremamente popular no Brasil. Circulou de 83 A.C a 21 D.C.

III.
É impossível explicar as preferências humanas. Embora confeccionados com materiais absolutamente idênticos,e ambos lindíssimos (ninguém é capaz de dizer qual dos dois é mais belo),o pôr-do-sol sempre teve, e tem, muito mais público do que o nascer-do-sol.

Observação: Ora, Millôr, o pôr-do-sol é muito mais machista.

II.
Não adianta, sempre resta uma hierarquia e uma divisão de classes, mesmo entre os que levam uma vida de cachorro.

I.
Primeiro a religião prometeu o céu longínquo, sem jamais dizer onde ou quando. Depois apareceu o comunismo e pregou uma solução também bem distante; quando tudo fosse mais, e mais bem produzido, e seria mais bem repartido. Mas só mesmo quando surgiu a televisão e criou a sociedade de consumo, garantindo a felicidade colorida e fácil aqui mesmo na loja da esquina, foi que o pessoal entendeu. E começaram os assaltos e seqüestros, com a distribuição social imediata.



V

XX.
É impossível explicar as preferências humanas. Embora confeccionados com materiais absolutamente idênticos e, ambos, lindíssimos (ninguém é capaz de dizer qual dos dois é mais belo), o pôr-do-sol sempre teve muito mais público do que o nascer-do-sol. E, além disso, o pôr-do-sol é muito mais machista!

XIX.
Ponto facultativo é um dos mais antigos e sólidos exemplos da hipocrisia burocrática.

XVIII.
Dizem que quando o Criador criou o homem, os animais todos em volta não caíram na gargalhada apenas por uma questão de respeito.

XVII.
ARGUMENTOS BASICOS PARA VOCÊ ENCARAR UM DILEMA DE FORMA HUMANA.

1. Meu amigo, acho que suas conclusões são perfeitamente discutíveis.
2. V.Ex. está enganado; as estatísticas provam exatamente o contrário.
3. Ora, as estatísticas não provam coisa alguma!
4. Confesso que também já pensei dessa maneira.
5. O senhor está sendo deliberadamente parcial.
6. Bem, isso é uma maneira pessoal de ver as coisas.
7. Aparentemente o senhor está certo. Mas as aparências enganam.
8. Encarando as coisas desse modo chegaremos à conclusão que quisermos.
9. Mas estã claro que esse não é um ponto de vista científico.
10. Só para encerrarmos a discussão: acho-o uma besta quadrada.

XVI.
Quando os matemáticos-filósofos gregos descobriram que 2 não é um número racional, celebraram a descoberta com uma hecatombe, a morte de cem bois.

XV.
ExplicativaComo sei que alguns leitores ficam, às vezes, perplexos, chegando quase a fundir a cuca, em busca de uma piada qualquer nas notas que escrevo nesta página (internet é página?), esclareço que devem continuar procurando. A gente acaba sempre encontrando o que procura, como me dizia noutro dia um desses guardas de trânsito que estão sempre a fim, e param todo mundo no meio da rua, pedem a carteira e começam a ameaçar até que... (Me entenderam, detrans da vida?).Mas, como eu ia explicando quando fui interrompido pelo guarda, o fato é que, de minha parte, eu nunca disse a ninguém que eu era um humorista. Eu sou, mas quando bem entendo. Eu sou, a maior parte das vezes. Mas não me obrigo a fazer gracinhas pra ninguém. Mesmo porque, quem se obriga acaba sempre, um dia, ouvindo aquela: "Hi, olha ele aí." Acho que o público tem discernimento bastante para não me exigir um rótulo. Um homem é um ser que oscila permanentemente. E eu quero que estas notas mostrem exatamente essas variações num carioca devidamente deformado pela sua cidade. Assim, quem lê, tem que saber por si mesmo, quando uma história é inventada, quando é séria, quando uma fotografia é verdadeira, quando é montada. A foto do meu batismo no Rio Jordão , por exemplo, é absolutamente autêntica. Se eu conseguir que os meus 18 leitores consigam separar a verdade da mentira sem o auxílio de ninguém, terei ajudado imensamente o país em sua marcha em direção à Grande Democracia. Pois a verdade é que os políticos nunca avisam quando estão chutando. Porque estão sempre.

XIV.
Antigamente se falava , com total convicção: “O que é do homem o bicho não come”. O pessoal todo ainda estava no armário.

XIII.
“Pérolas aos porcos” é expressão depreciativa. Exceto no Planalto, onde os porcos adoram pérolas.

XII.
É a eterna istória de só darmos valor ao que vem de fora. A toda hora os jornais se enchem de artigos louvando como fantásticas as previsões de Sibila, Tirésias, Nostradamus e que tais, todos, afinal, estrangeiros. E no entanto ninguém se lembra do nosso genial profeta, o maior cronista do país, Rubem Braga, que há mais de trinta anos lançou sobre o bairro mais famoso do Brasil o seu anátema terrível: "AIDS TI, COPACABANA!"

XI.
Palavras, palavras, palavrasSer ou não ser (FRESCO?)

Nunca entendi bem o porquê da prolongada indecisão do Príncipe da Dinamarca ( o Hamlet, esse mesmo) diante de seu problema existencial. Só a necessidade da peça durar três ou quatro horas, enquanto a patuléia ria, berrava, comia e brigava (exatamente como a galera faz hoje nos xous de 
roque), pode explicar o fato.

"Ser ou não ser", ora, ora. Quando há uma indecisão dessas, meu Príncipe, a coisa se resolve mais facilmente na Cara ou Coroa. Cara, a gente mata o tio. Coroa, a gente mata a própria mãe. Se a moeda cair em pé (o Lula consegue), a gente mata os dois. De qualquer forma a solução é imediata, sem os intermináveis florilégios:

"Pois quem suportaria o açoite e os insultos do mundo, a afronta do opressor, o desdém do orgulhoso, as pontadas do amor humilhado, as delongas da lei, a prepotência do mando, e o achincalhe que o mérito recebe dos inúteis, podendo ele próprio encontrar seu repouso com um simples punhal?"

X.
Se você está apavorado com tanta violência, é bom prestar mais atenção: a maior violência não anda armada.

IX.
O Brasil ainda é os Estados Unidos de que eu mais gosto.

VIII.
Vou andando, como sempre, de vez em quando corro um pouco, o mar à direita, a cidade à esquerda. A areia está dura, seu contato com os pés é um prazer sem igual. Penso, na fluidez do que quase não chega a pensamento: "Sou um homem de praia. Não sou um homem de mar. Vivi toda a minha vida à beira do mar, na praia. Pra mim o mar podia acabar logo ali, na linha do horizonte".

VII.
Todos sabem - os poucos que sabem - que sou grande admirador da tecnologia. Mas o progresso é sempre melhor? Sempre? Todo dia a gente vê desastres. Terríveis acidentes aéreos, engavetamento de trens, batida coletiva de automóveis. Você alguma vez ouviu falar de algum acidente com os maravilhosos meios de transporte do passado - soube da queda de algum tapete voador, de alguma batida de vassouras de bruxas, de algum enguiço de botas de sete léguas?

VI.
Minha homenagem, mais uma vez, a São Sebastião, padroeiro desta mui leal cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Homenagem pequena, mas eu não poderia deixar de fazê-la mais uma vez. Hoje não existe nada de tão representativo do Rio quanto esse São Sebastião todo esburacado. Mas, ao contrário do que pensa a maioria dos devotos, São Sebastião sobreviveu aos buracos ordenados pelo administrador de Roma, Diocleciano. E Diocleciano teve que mandar abatê-lo a pauladas. O Rio não perde por esperar.

V.
A cada sol que surge, novos e mais novos sinais aparecem de mudanças dos tempos clima & sucessão de horas. Enquanto o frio desagradável que nos assolou (tem sol aí no meio!) vai se dissipando e o ar brilhante da primavera vai penetrando a atmosfera, os ratos de esgoto se tornam mais visíveis, alcatéias de pulhas saem dos ralos e, sobretudo na calada da noite, ouve-se os guinchos e uivos das milícias solertes sentindo seus tugúrios ameaçados pelo calor que aumenta. De vez em quando, insustentáveis, caem do alto alguns gambás não conseguindo mais se sustentar nos galhos e cipós autárquicos. Ao mesmo tempo, alguns raros talentos-malversados são vistos bêbados e cegos pela luz que ameaça despontar. Na saída do túnel vendem-se ainda (forma reflexiva, eles se vendem) muitos sibaritas tediosos da última temporada. Mas há também muita vida antiga preservada no último andar, sobretudo no sótão; gerentes hemiplégicos recebem para derradeira tentativa os vetustos safados. Mas uma janela bate, se abre, e deixa entrar uma lufada (êpa! Nada de Maluf!) de ar fresco, inoculando pneumonia e bronquite nesses remanescentes amigos do peito. Não é necessário ter narinas muito apuradas pra perceber que vai ser tarefa de Hércules livrar toda a área do fedor terrível deixado pelos superexecutivos, vigas, forros, degraus, revestimentos, quase tudo está podre nesta nossa Dinamarca.

IV.
Proverbial: tanto é verdade que o dinheiro pode tudo que uma pequena moeda, a menor moeda do fabulário econômico, colocada junto ao olho, esconde a luz do sol.

III.
Estamos, de novo, fazendo um gigantesco esforço pra desapurar tudo que já desapuramos há muito tempo, quem está com o bilhão e quem é sócio do bilhão. Parece que desta ninguém escapa, estão envolvendo até o Presidente. E todo o país respira aliviado. O Brasil vira mais uma página de sua História?

PS: A interrogação que botamos na frase é pra não exagerar no otimismo. Mas resolvemos dar a eles o benefício da dúvida, perdão da dívida!

II.
Fiquem tranqüilas as autoridades. No Brasil jamais vai haverá epidemia de cólera. Nosso povo morre é de passividade.

I.
Lula sabe, Lula é um estudioso da mitologia grega. Daí sua popularidade. Aprendeu com os deuses do Olimpo que pode cruzar mil burros brancos com mil mulas pretas que não dá zebra.



VI

XX.
Preconceito muito pra frente
Toda hora eu vejo, em jornais, revistas , televisão, e na rua, pessoas cada vez mais “livres" de preconceitos e... E no entanto todas estão convencidas de que a Terra gira em torno do Sol. Por quê? Pergunte a elas e elas responderão: "Vê, Galileu "provou" isso, há muito tempo". Mas provou pra quem? Pode ser que tenha provado pros cientistas. O homem comum, e mesmo nós, os pejorativamente chamados intelectuais, aceitamos e pronto. Sem pensar. Preconceituosamente. Como antes de Galileu acreditávamos que o Sol girava em torno da terra. Mas, entre Galileu - de cujas "provas" nunca tomamos conhe¬cimento nem sabemos dizer quais são - e a realidade, que literalmente salta (gira) a nossos olhos, temos que acreditar em nossos olhos. Nossos olhos veem, com absoluta certeza, que o Sol nasce ali (a leste) e morre do outro lado (a oeste), girando em tomo de uma terra absolutamente parada (terremotos à parte), sobre a qual caminhamos sem sentir o menor movimento. Pra mim o sol gira em tomo da terra e tamos conversados.

XIX.
Pra não dizerem que não tenho estudos musicais.Minha musicalidade começou aos 10 anos, ouvindo magnífico grupo coral que todo anoitecer apresentava seu espetáculo num brejo perto de minha casa, no Meyer. Entre o cair do sol e as 7 da noite centenas de sapos e rãs coaxavam ali, em absoluta afinação. Com a pontuação ocasional de um percussionista regente – o sapo-martelo. Até hoje sei distinguir o coaxo mais grave do sapo do coaxo mais agudo das rãs.

XVIII.
Filosofia JurídicaEstamos perfeitamente cientes de que a força gera seu direito próprio. Tem mais: estamos perfeitamente conscientes de que o direito não gera sua própria força. Como dizia Stálin (um realista): “Esse Papa protesta, protesta, protesta. Afinal, quantas divisões tem esse Papa?”

XVII.
Pois é, eu já estava emocionado com a situação terrível dos miseráveis de algumas cidades do Nordeste, quando mudei de canal e fui abalado por uma menina ter caído num poço no interior da Cracóvia. Cheguei a uma conclusão, é terrível a situação do mundo no Horário Nobre da televisão.

XVI.
Nesse negócio de língua tem-se (!) que tomar muito cuidado. Eu, por exemplo, antes de fazer qualquer afirmativa linguística, consulto sempre meu guru lexicográfico, o deputado Aldo Rebelo.

XV.
Estudando à noite no Liceu de Artes e Ofícios, centro do Rio. Um dia um professor deteve a massa de alunos que descia as escadarias e, no meio de todos, advertiu-me para que nunca mais zombasse de um colega; “Ele pode te perdoar que você lhe bata a carteira, mas jamais perdoará essa humilhação” Aprendi a lição.

XIV.
Eu sou totalmente a favor da mãe solteira – porque também sou frontalmente contra o pai casado.

XIII.
Enólogo é quem entende de vinho, me ensinam. E por que os que falam de vinho na minha frente estão sempre tomando uísque?

XII.
E, neste mundo de mecânica quântica, 10 dimensões, supergravidade, P-branas e buracos negros, Lula proclama, entusiasmado: "O Brasil vai a todo vapor".

XI.
Olha, olha o nosso Congresso. Olha que coisa mais feia, é gripe suína, que veio pra ficar. Luz cara mas que não aquece, iluminando flores que não cheiram e congressistas que não fedem nem cheiram, ou cheiram demais.

X.
Bilhete comum em computês, ou internetês, pro extraordinário linguista Aldo Rebelo meditar na cama: "Amo VC, por sua blz, mas kd você? Vamos nos ver neste fds, pessoalmente e tb pela net, tah? Sente fmz? Que é que vc flw? Tdo em cima? Quando vamos att nossos bjs? Add alguns abs? Ou você está com alg novo? Xau. O Môr."

IX.
Claro, não se pode evitar o nascimento nem a morte. Mas não dá pra melhorar um pouco o intervalo?

VIII.
Está bem lingüistas, se dois é ambos, por que três não é trambos?

VII.
Estatuto da terra I - Em nenhum caso poderão ser desapropriadas terras com menos de 200 milhões de quilômetros quadrados, a fim de evitar o minifúndio, que seria fatalmente ocupado por diminutos japoneses que o Japão vem produzindo especialmente com esse fito. II - Serão totalmente desapropriadas as conversas terra-a-terra. III - Certas regiões especialmente ricas em minérios continuarão em poder de seus atuais donos multinacionais. Mas o povo brasileiro poderá considerá-Ias Terras Prometidas. IV - As terras indígenas ficarão em poder dos próprios índios, que pagarão impostos progressivos proporcionais ao valor folclórico da tribo.V - Não pagarão qualquer imposto territorial A) A Terra de Siena; B) A terra que se junta nas obras urbanas, nas demolições ou nas enxurradas; C) Decisões governamentais aterradoras. VI - Os proprietários de terras aguadas e pantanosas estarão naturalmente isentos de impostos sobre a terra pagando os apenas sobre a lama, e cobras e lagartos que disserem sobre o governo. VIl - Em nenhum caso o gravame impostal sobre a terra poderá exceder 4670 vezes o valor da terra. A avaliação será feita por pessoas de reconhecido gabarito moral (doze andares) e alto (treze andares) conhecimento, como, por exemplo, médicos encarregados das compras do INSS, inspetores do Detran, e cassados por corrupção com seus direitos plenamente restaurados.VIII - Os trabalhadores que ocultarem alguns quilômetros quadrados de terra, com o fim de iludir o fisco e os fiscais, serão considerados inidôneos para usufruir da reforma agrária. O mesmo acontecerá aos que não souberem explicar o que é agrária. IX - Todas as terras devolutas serão distribuídas nos grandes centros urbanos que é onde falta mais terra.X - Até a promulgação desta lei, não se dão nem se aceitam aterros.

VI.
O Lula teve um treco e os médicos operaram ele no nariz - rinoplastia - quando todo o país sabia que ele precisava mesmo era de uma traqueotomia. Deu no que deu. No que está dando. No que vai dar.

V.
O Presidente que nos perdoe, mas li tudo sobre tudo, ponderei analista, refleti comentaristas, aceitei prós, contra e muito-pelo-contrários e não conclui nada. Mas, como os números do Presidente não batem na minha cabeça (sou bom de números, aviso aos incautos), só acredito no que Ele diz a respeito da Crise, se souber me responder à grande, simples e definitiva pergunta metafísica, que continua martelando em minha cabeça: "Que tamanho tem um pedaço de barbante?"

IV.
Não, você não precisa de biblioteca. Cristo não tinha. E o livro só te dá uma profundidade maior, caminho certo pra infelicidade. Não, você não necessita de esperança. Quem espera desespera e corteja a frustração das coisas que jamais se realizam. Todo projeto é um fracasso. A coisa mais bem sucedida atinge 70% do esperado. Não, você não precisa de amor. Amor acaba no azedume, na infidelidade, na violência do conflito entre egos em choque. Pra ser feliz, na verdade, você só precisa mesmo é de uma boa redução na taxa de juros.

III.
O sujeito que me fará acreditar na imortalidade da alma ainda está pra ressuscitar.

II.
São Jorge, segundo me dizem, há algum tempo foi destituído de sua santidade. Destituído quando a Igreja descobriu a história verdadeira: ele matou a donzela e foi viver com o dragão.

I.
Taí, vigente a tal de lei que faltando imaginação chama de Lei Seca. O que, também copiando os Estados Unidos, os burocratas do legislativo-jucidiário a chamam de Tolerância Zero. Mais propriamente Intolerância 100. A Lei é estúpida como são todas, desde que se inventaram as leis. E, em nome de punir alguns malfeitores não punem e acabam com a liberdade de todos. Mas não quero discutir isso (as estatísticas provam logo no dia seguinte que os acidentes diminuíram 73%, os atropelamentos 66% e os adultérios 98%). E as pessoas continuam se afogando em rios que têm em média 50 cms de profundidade.

E a inflação atingiu o pobre do guarda, já já vai passsar a cobrar 200 pratas pra não ver nada ou não ver coisa alguma. Ou a nova lei vai proibir também a natureza humana? É humana, pois não?Quero apenas comentar, aqui e agora, a idéia, propagada pelos pessimistas de plantão que essa é mais uma lei que não vai pegar. E eu, otimista de tocaia, pergunto: "E alguma vez, em algum lugar, alguma lei pegou?". Tá bem, pode ser que eu esteja exagerando, mas fiquemos só no chamado Decálogo, ditado pelo Todo Poderoso Jeová, a seu profeta Moisés.



VII

XX.
Sou totalmente a favor da mãe solteira – porque também sou frontalmente contra o pai casado.

XIX.
A esperança é crônica. O medo é agudo.

XVIII.
Falsa Cultura: CrackRockfeller morreu de armas na mão defendendo o crack de 1929.

XVII.
No cassino da vida pública brasileira é considerado modelo de probidade o que tem só um ás na manga.

XVI.
Cristo foi seguido por suas parábolas demagógicas e crucificado por seus planos de reforma social.

XV.
A Glória Séc. XXI Ninguém acredita mais em Glória com menos de 30 milhões de audiência.

XIV.
A indenização é o último patriotismo do rebelde

XIII.
Não sou um homem muito culto. Mas sempre tive o cuidado de me cercar de completos ignorantes.

XII.
Agora, que já avançamos pelo século XXI, podemos fazer um pequeno balanço do que o século XX nos legou.

1. O atropelamento. 
2. O salto suicida do décimo andar. 
3. O envenenamento pela radioatividade. 
4. A estupidificação pela televisão. 
5. A queda do avião. 
6. A democratização da aids. 
7. A poluição, tornando verdadeira a frase "O mar não tá pra peixe". 
8. O escorregão na Lua. 
9. A morte no CTI. 
10. A possibilidade de um final feliz, todo mundo acabando junto.

XI.
A infância não, a infância dura pouco. A juventude não, a juventude é passageira. A velhice sim. Quando um cara fica velho é pro resto da vida. E cada dia fica mais velho.

X.
O trocadilho, dizem os que gostam de dizer, é "a forma mais baixa de humor". É. Não há nada mais chato do que um debilóide que gosta de "contar" um trocadilho. Isto é, fala um trocadilho dito antes, geralmente sem nenhuma criatividade. Pois o trocadilho vale pela espontaneidade, feito in the spur of the moment, na velocidade do instante. Por pessoas que têm o dom do "processamento" repentino.

Mas há também o bom trocadilho pensado, refletido. Sem trocadilho, jogo de palavras, Shakespeare não existiria. Ainda mais – a literatura não existiria.

Este longo nariz-de-cera é porque vi, nas ondas de protesto contra as tropas de ocupação da Síria, no Líbano, uma faixa dizendo: GO HOME SIRIAL KILLERS!

Nunca esquecer que o maior trocadilho, sobre o qual se firmou o cristianismo, está lá, gigantesco, rodeando a cúpula da Igreja de São Pedro: "Pedro, tu és pedra, e sobre ti edificarei a minha Igreja". Dito pelo próprio Cristo. A verdadeira graça de Deus.

IX.
Respostas a que não fui perguntadoUm artigo de psicologia - ai! - pergunta: “No banheiro você se sente nu ou despido"? Deixa eu ver:- Despido: Somos nós quando tiramos a roupa. - Nu: Uma outra pessoa qualquer (talvez porque não assistimos ao ato de ela se despir?) Cadáver assassinado também é nu. - Nuinha: Mulher bonita. - Pelada: Mulher na janela em frente, em geral bonita e vulgar. Criancinha recém-nascida. - Desnudado: Artistas sem cache-sexe, atletas sem sunga, políticos.

VIII.
Jesus foi crucificado entre o bom e o mau ladrão. Pois é: naquela época havia 50% de bons ladrões.

VII.
Monogamia: Chama-se de monogamia a capacidade de ser infiel à mesma pessoa durante a vida inteira.

VI.
Olhando pra esquerda ou olhando pra direita, estamos dentro do palíndromo da corrupção

V.
Ao fim e ao cabo, aprendam logo, se já não sabem: todo partido político é uma gang com ideologia (e até sem ela).

IV.
Todos sabem - os poucos que sabem - que sou grande admirador da tecnologia. Mas o progresso é sempre melhor? Sempre? Todo dia a gente vê desastres. Terríveis acidentes aéreos, engavetamento de trens, batida coletiva de automóveis. Você alguma vez ouviu falar de algum acidente com os maravilhosos meios de transporte do passado - soube da queda de algum tapete voador, de alguma batida de vassouras de bruxas, de algum enguiço de botas de sete léguas?

III.
Democracia Lula, defensor do analfabetismo como neocultura, vai enviar ao Congresso uma MP proibindo a elitista ordem alfabética. Transparência A imprensa, como demonstra extraordinariamente no momento atual, é, mais que nunca, o Quarto Poder. E, neste primeiro escândalo internacional, ocorrendo no imenso Brasil, a internet, com sua repercussão-relâmpago e capacidade de invadir e influenciar todos os setores, já é o Quinto Poder. Estamos, sempre estivemos, a reboque da tecnologia. Mestre Aprendi com o vosso Presidente: o caixa dois das campanhas eleitorais, a fome, a discriminação (Lula tem horror de viado, como provou em Pelotas, e a internet mostra interminavelmente), o desemprego, o mensalão, a incompetência, tudo isso é o que se chama "a ordem natural das coisas". Antibiológico Nem a ciência ficou de fora: Valério conseguiu desmoralizar até o DNA.

II.
Bíblia me ensinou; "Cada coisa tem seu tempo." Paro hoje - em verdade parei ontem - o ciclo de pequenas lições de civismo para cego-surdo-mudos. Paro porque há uma hora de parar. Espero em Deus não ter que recomeçar. Foi bom sentir que alguns puderam ver, outros ouvir, uns raros se indignar. Quando surgem vozes mais competentes e aparelhadas do que a minha, cedo a vez. E posso dar ao meu leitor (na presunção de tê-Ios) descanso do enfado a que o submeti por tema, atualmente, quase irrelevante; a prepotência a serviço do crime. Paro com a melancolia de perder a admiração que tinha por dois ou três amigos. Paro com a satisfação de que, por mais erros que cometa, por mais contaminada que esteja pela metástase do país - nenhum de nós escapa - ainda é na imprensa, e quase só na imprensa, que o cidadão encontra um espaço de choque contra a insensibilidade patológica do nosso poder político-econômico.

I.
De vez em quando, o mais raramente melhor, é bom transcrever alguém já consagrado. Desde que ele seja curto, profundo, - em qualquer sentido - e bom mesmo. Aqui vai um pedaço de Borges (Jorge Luis), que preenche esses requisitos. Millôr.O Zahir do Borges Antes de 1948, o destino de Julia talvez já tenha me atingido. Terão de alimentar-me e vestir-me, não saberei se é tarde ou manhã, não saberei quem foi Borges. Qualificar de terrível esse futuro é uma falácia, já que nenhuma de suas circunstâncias terá significado para mim. Tanto valeria sustentar que é terrível a dor de um anestesiado a quem abrem o crânio. Já não perceberei o universo, perceberei o Zahir. Segundo a doutrina idealista, os verbos viver e sonhar são rigorosamente sinônimos; de milhares de aparências, passarei a uma; de um sonho muito complexo a um sonho muito simples. Outros sonharão que estou louco, e eu com o Zahir. Quando todos os homens da terra pensarem, dia e noite, no Zahir, qual será um sonho e qual uma realidade, a terra ou o Zahir?Nas horas desertas da noite ainda posso caminhar pelas ruas. A aurora costuma surpreender-me num banco da praça Garay, pensando (procurando pensar) naquela passagem do Asrar Nama, na qual se diz que o Zahir é a sombra da Rosa e a rasgadura do Véu. Vinculo essa opinião a esta notícia: para perder-se em Deus, os sufis repetem seu próprio nome ou os noventa e nove nomes divinos até que eles já nada querem dizer. Eu desejo percorrer esse caminho. Talvez acabe por gas­tar o Zahir à força de pensar e repensar nele; talvez, por trás da moeda, esteja Deus.



VIII

XX.
Um Homem só é completo quando tem família; mulher e filhos. Desculpe: completo ou acabado?

XIX.
Basear a reforma social no heroísmo é quase tão estúpido quanto esperar a vitória militar da covardia.

XVIII.
Respostas a que não fui perguntado:

Um artigo de psicologia - ai! - pergunta: “No banheiro você se sente nu ou despido"?

Deixa eu ver:

• Despido: Somos nós quando tiramos a roupa. 
• Nu: Uma outra pessoa qualquer (talvez porque não assistimos ao ato de ela se despir?) Cadáver assassinado também é nu. 
• Nuinha: Mulher bonita. 
• Pelada: Mulher na janela em frente, em geral bonita e vulgar. Criancinha recém-nascida. 
• Desnudado: Artistas sem cache-sexe, atletas sem sunga, políticos

XVII.
Não devemos odiar com fins lucrativos. O ódio perde a sua pureza.

XVI.
Tão medíocre que nem no dia do próprio enterro conseguiu ser o centro das atrações.

XV.
O inventor do baralho já apoiava a ditadura (ou a eminência parda?). Senão, que diabo quer dizer uma carta que vale mais do que um rei?

XIV.
Definitivo - o Santo Padroeiro do Brasil tem que ser São Tomé, o que paga pra ver.

XIII.
Marinheiros de primeira viagem, não fiquem a sotavento da lei, nem a barlavento da indignidade humana. Mas não confiem demais na bússola das intransigências democráticas.

XII.
Prudência: e devemos sempre deixar bem claro que nenhum de nós, brasileiros, é contra o roubo. Somos apenas contra ser roubados.

XI.
Reflexão Melancólica:

Eu não sou o que já fui e já não serei o que sou. E, tenho que reconhecer, o que sou não é lá grande coisa.

X.
Disfarce: No Planalto, muita gente de quatro fingindo que está apenas procurando a lente de contato.

IX.
Responda depressa: o que é que faz quem não gosta de fazer nada e morre de tédio por não ter o que fazer?

VIII.
A inflação destrói uma antiga lei natural; ”tudo o que sobe desce”.

VII.
O estômago tem razões que os já alimentados não compreendem.

VI.
A juventude que, coletivamente, já é mais da metade da população da terra individualmente continua sendo um terço da vida.

V.
Costumes locais:

Amigo nosso, brasiliense, foi abordado na rua por um garotinho de uns oito anos: “Desculpe moço”, disse o garotinho, “eu queria comprar uma roupa de futebol e uma bola. Tem uma loja por aqui?” “Tem sim”, informou o nosso amigo, “mas na outra quadra tem uma que vende muito mais barato. Essa daqui é muito cheia de luxo”. “Não faz mal, não” respondeu o menino, “eu sou o tesoureiro do clube”.

IV.
Fica frio, amigo, não foi o brasileiro o inventor da corrupção. Baseado no mais profundo ensinamento da minha religião, a corrupção começou no Princípio dos Princípios, justamente no Jardim do Éden.

Quando os dois proto-Safados, corrompidos pela Serpente, desrespeitaram a Lei do Senhor e comeram o Fruto da Ciência do Bem e do Mal, o desrespeito espantoso ficou conhecido como A Queda. Mas não passou assim pelo Todo (como era conhecido o Todo-Poderoso), que condenou os três culpados por uso indevido de bem público e formação de quadrilha.

Logo o Anjo Gabriel, executor das ordens do Supremo, expulsou Adão e Eva do Paraíso, obrigando-os a viver na periferia, a leste do Éden. Mas a Serpente, misteriosamente, nunca foi punida

III.
TEM SEMPRE LUGAR PRO OTIMISMO, CARA. 

Pô, há 500 anos, o Brasil nem existia. Quer dizer, estava encoberto. E 500 anos depois ainda somos um país jovem. Pode? Pode. O Brasil já nasceu equipado com célula-tronco. Por isso, neste albor (oba! oba!), nas primeiras luzes da gloriosa Era Lula, que muitos deturpam para Lula já era, temos a obrigação de repetir alto e bom som: NADA DE PESSIMISMO, COMPATRIOTAS! 

Agora são outros 500. E não adianta fazer balanço dos anteriores. Foram bons, foram ruins, foram péssimos, foram um fracasso. Mas já se foram. Agora temos que acreditar nos que vêm. Ora, pois. 

Pois se, como todos sabem, a Geometria é resultado da curiosidade dos sábios gregos vagabundando na Ágora de Atenas; a Astronomia veio da superstição que criou antes a Astrologia; a Economia surgiu da avareza; a Eloquência nasceu do ódio e do puxa-saquismo – por que a Grandeza do Brasil não pode começar com um Deficiente Digital? 

OTIMISMO, GENTE! OTIMISMO!

II.
Cultura Marginal:

No dicionário prefira os palavrões. Na aritmética escolha os números ordinários.

I.
O dramático aumento, no mundo inteiro, de assaltos a bancos, joalherias e museus, ou a qualquer lugar em que haja fortunas em joias, quadros e outras preciosidades, é assustador. Mas tem também o efeito colateral – a vida dos receptadores tornou-se estressante. Nos tempos de Sherlock Holmes todos os assaltantes eram presos no fim da história, de modo que a solicitação ao esforço físico e psíquico dos interceptadores não era tão grande. Hoje, me disse um interceptador, aliás, deputado sem fins lucrativos, há, entre os profissionais, sérios problemas de armazenagem. E ponderou: "Muitos, secretamente, acabam depositando tudo nos próprios bancos assaltados."



IX

IX.
A infância não, a infância dura pouco. A juventude não, a juventude é passageira. A velhice sim. Quando um cara fica velho é pro resto da vida. E cada dia fica mais velho.

VIII.
Respostas às perguntas a que não fui perguntado:
Um artigo de psicologia - ai! - pergunta: "No banheiro você se sente nu ou despido?" Deixa eu ver:
- Despido: Somos nós quando tiramos a roupa. 
- Nu: Uma outra pessoa qualquer (talvez porque não assistimos ao ato de ela se despir?) Cadáver assassinado também é nu. 
- Nuinha: Mulher bonita. 
- Pelada: Mulher na janela em frente, em geral bonita e vulgar. Criancinha recém-nascida. 
- Desnudado: Artistas sem cache-sexe, atletas sem sunga, políticos.

VII.
Quando os eruditos descobriram a língua, ela já estava completamente pronta pelo povo. Os eruditos tiveram apenas que proibir o povo de falar errado.

VI.
Precisamos rever todos os princípios da Justiça. A Justiça que aceitamos é tão complicada, tão cheia de burocracia, que, acreditamos, dentro em breve ninguém mais terá coragem de ser malfeitor.

V.
Deixa, eu explico: decisões tomadas por falta da memória coletiva, elaboradas no ventre dos conchavos, paridas na hora do oportunismo.

IV.
Todo Juiz, mergulhado num julgamento de corrupção, sofre um impulso pra cima igual ao peso dos corruptos por ele inocentados.

III.
Repito um velho conselho, cada vez mais válido, sobretudo pro Congresso: Quando alguém gritar “- Pega ladrão”, finge que não é com você

II.
São Jorge, segundo me dizem, há algum tempo foi destituído de sua santidade. Destituído quando a Igreja descobriu a história verdadeira: ele matou a donzela e foi viver com o dragão.

I.
Não. Nada que faço tem significado especial, ou algum outro. As circunstâncias traçam os acontecimentos e eu as sigo. Claro, faço parte das circunstâncias que alguém vai seguir.

DISQUS NO FYADUB | FYASHOP

O FYADUB | FYASHOP disponibiliza este espaço para comentários e discussões das publicações apresentadas neste espaço. Por favor respeite e siga o bom senso para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas... PS. DEUS ESTÁ VENDO!