Pesquisa no FYADUB | FYASHOP

domingo, 31 de maio de 2015

KING TUBBY - O PRODUTOR QUE TRANSFORMOU O DUB EM FORMA DE ARTE... GUIA PARA INICIANTES



KING TUBBY É UMA DAS MAIS IMPORTANTES FIGURAS DA MÚSICA POPULAR JAMAICANA. 

Durante a década de 1960 e início de 1970, Tubby era responsável por transformar o dub em uma forma de arte, o criativa re-mix , fez dele pioneiro em um pequeno estúdio no gueto de Waterhouse,  tendo um impacto de longo alcance . Como seu amigo e rival em algum momento , Lee ' Scratch' Perry, Tubby fazia parte de um punhado de visionários jamaicanos cujas inovações não só mudou a forma de reggae, de forma sem precedentes, mas que também formaram um modelo para tantas outras produções musicais contemporâneas, seja no rap e hip- hop, jungle , garage e grime , ou várias formas de música eletrônica - especialmente dubstep, o filho bastardo britânico do dub jamaicano.

Muito mal compreendido , e às vezes sub-representado na literatura música, King Tubby não era um produtor de discos padrão até muito tarde na sua vida, e sua ocupação regular foi fornecer transformadores para estabilizar a corrente elétrica de empresas e sistemas de som parecidos. No entanto, a cultura do remix, hoje está largamente dependente da engenhosidade de Tubby , as técnicas que ele introduziu indelevelmente mudando a maneira como a música popular contemporânea é feita e emitida.

Ele nasceu Osbourne Ruddock em 1941, e foi criado com três irmãos e quatro irmãs perto do porto de Kingston em High Holborn Street, uma das estradas mais proeminentes no lado leste do centro. Então, no início de 1950, ele se mudou com sua mãe para 18 Dromilly Avenue , no bairro Penwood de Waterhouse, uma extensa área de Kingston ocidental, onde uma série de novos empreendimentos habitacionais recentemente tinham sido construídos. Em comparação com a grave superlotação do centro da cidade , Penwood deve ter se sentido como um passo no mundo. No entanto , o bairro mais tarde se tornaria um outro distrito inflamado, uma vez que a violência politicamente motivada se tornou um problema sério.

Ao invés de se referir a tipo físico (que sempre foi magro), o apelido de "Tubby" decorre do sobrenome de sua mãe, Tubman. Ele desenvolveu um interesse em eletrônica na adolescência, e estudou o o tema na Faculdade de Artes, Ciência e Tecnologia em Kingston, e se aprimorou através de cursos por correspondência a dos EUA. Ele começou a construir rádios a partir de peças descartadas e recuperados de lixeiras, e logo abriu uma oficina de reparação elétrica na parte de trás da casa de sua mãe. Além do trabalho, mais tarde ele fez um transformador nas instalações, Tubby começou a construção e manutenção de amplificadores para sistemas de som locais, e em 1958 ele fez um para si mesmo, um pequeno conjunto inicialmente conhecido como Hometown Hi-Fi, que tocou rhythm and blues americano, e só apareceu para selecionar em locais de turísticos no início. No entanto, sua popularidade levou à coroação de King Tubby na sequência de um clash de som em Waterhouse no início dos anos 60, e no final daquela década, uma vez U Roy se tornou parte, King Tubby Hi Fi começou a tocar para um público maior. Seu sistema de som também foi o primeiro a usar reverb em público - uma grande inovação sonora no momento. Tragicamente, o som foi destruído pela polícia em 1975. 

Em meados dos anos 1950 , Tubby foi como um mentor para seu vizinho mais jovem, Lloyd ' Jammy' James (que viveu algumas casas para baixo, no número 92), e de acordo com Jammy , ele operou brevemente uma estação de rádio pirata na era do ska (chamada TRS, a estação de rádio de Tubby), mas foi desmantelada quando soldados foram enviados para encontrar a fonte , uma vez que as emissões da estação entraram em confronto com as de frequência de rádio mainstream Jamaicana. Tubby e Jammy permaneceriam extremamente perto nas décadas que se seguiram - mesmo quando Jammy , eventualmente, decidiu tornar-se um produtor rival.

Tão pouo foi documentado naquele momento, o envolvimento precoce de King Tubby na música, por vezes, tem sido deturpado. O sobrinho de Tubby recentemente esclareceu que, embora ele manteve seu equipamento no estúdio Treasure Isle de Duke Reid durante o final dos anos 60, ele não era um engenheiro aprendiz ou produtor de dub local, como tem sido afirmado muitas vezes. Além disso, diz a lenda que Tubby estava presente quando Redwood  Rudolph 'Ruddy' foi engenheiro residente, e Byron Smith mixou alguns dubplates para o seu sistema de som, em que o vocal foi inadvertidamente removido, abrindo o caminho para o fenômeno da "versão" nos lados B, em que canções vocais previamente gravados teriam suas faixas de ritmo removido para versões instrumentais alternativos ou espaços para o deejay, embora Tubby uma vez alegou que ele foi o primeiro a fazer isso. Em ambos os casos, Tubby adquiriu uma máquina de fita de duas pistas que ele começou a usar para misturar acetatos como dubplates e 'versões' para sistemas de som. O cantor Pat Kelly, que era engenheiro de áudio para Tubby nos primóridos, diz que ele estava trabalhando com King Tubby a partir, talvez, já em 1969, embora outros tenham questionado as memórias de Kelly.

As coisas definitivamente deram grande passo após Bunny Lee ajudar Tubby a adquirir uma mesa (de som) MCI da Dynamic Sounds em 1971, levando Tubby a transformar a sala da frente na 18 Dromilly Avenue em um estúdio de remixes, adicionando delay e reverb para o 'versão' que ele estava mixando, criando assim o dub como nós o conhecemos agora. Logo os mais importantes produtores de discos independentes, sem estúdios próprios estavam batendo em sua porta, com Niney The Observer, Lee 'Scratch' Perry, Keith Hudson, Yabby You e Augustus Pablo estando entre os mais notáveis para beneficiar Tubby em seu trabalho. A partir de 1972, o espaço foi utilizado regularmente para a colocar voz nas faixas, bem como, embora não fosse grande o suficiente para uma banda completa para gravar lá. De acordo com Cornell Campbell, que afirma que sua interpretação de 'Never Found A Girl' foi a primeira música gravada nas instalações, Tubby era inicialmente relutante para gravar artistas lá, mas depois de ouvir os resultados, e com o incentivo de Bunny Lee, ele transformou um banheiro um áquario para as gravações. Em seguida, ele se tornou uma referencia para os produtores independentes que levavam suas faixas de para que Tubby mixasse em seu estúdio, bem como para ter suas versões dub mixadas lá.

King Tubby também foi fundamental para fazer um álbum dub de forma viável para a ser lançado, levando à crescente popularidade no exterior nos meados dos anos 70 . No entanto , a natureza limitada do equipamento de gravação de Tubby tem estimulado muito debate ao longo dos anos . Um elemento importante da mesa de som foi seu filtro high-pass , que Tubby usava para efeitos dinâmicos em muitos de seus maiores dubs . E foi sempre uma equipe de engenheiros que estavam trabalhando lá, ao invés de apenas Tubby. Nos primeiros dias de seu estúdio, o cantor Pat Kelly foi um dos engenheiros residentes em uma base on-off , mas ele foi substituído por Philip Smart no final de 1973 ; quando o Smart posteriormente migrou para os EUA, isso levou a um retorno temporário de Kelly, até Prince Jammy voltar à Jamaica no início de 76 para se tornar o braço direito do Tubby . Perto do final da década de 70, o jovem Scientist tornou-se outro aprendiz importante, e Peter Chemist e Professor foram engenheiros de som de algumas músicas de Tubby no início dos anos 80 também.

Enquanto isso, Jammy estava no processo de romper com Tubby , a construção de seu próprio estúdio em sua casa na cidade vizinha de St Lucia Road. O enorme sucesso que Jammy teve com o teclado Casio 'Under Mi Sleng Teng", em 1985, convenceu Tubby para atualizar seu estúdio e a fazer uma mudança para o digital e programação em computador. No entanto, uma vez que o estúdio foi instalado e funcionando, Tubby tomou ainda mais de um papel de passageiro por trás de algumas produções, deixando associados, tais como Peego , Phantom e Fatman Thompson para realizar a maioria de suas sessões de gravação. O resultado final foi que ele foi muitas vezes ficou na sombra de Jammy no inicio da fase digital, embora tenha lançado alguns sucessos notáveis ​​de sua própria autoria também.

A vida de King Tubby acabou tragicamente 6 de fevereiro de 1989, vítima de outro assassinato sem sentido. O atirador não identificado levou dinheiro , jóias, e mais notavelmente, arma de fogo licenciada de Tubby , que foi, provavelmente, a razão pela qual ele foi alvo em primeiro lugar. Embora o assassinato de Tubby foi como um golpe terrível para o reggae , a música que ele fez é verdadeiramente imortal. O que segue são dez exemplos supremos de trabalhos maravilhosos produzidos no estúdio de King Tubby , concebido e mixado pelo próprio King, junto com alguns de seus parceiros mais próximos.




God Sons - ‘Merry Up’ 
(Shalimar/Green Door 7”, 1972) 
Cantor e produtor Glen Brown tem o seu início com o Sonny Bradshaw 7 em meados dos anos 60, quando eram o principal grupo de jazz da Jamaica. Seu profundo amor pelo jazz sustentou sua abordagem eclética para a produção de música, e deu-lhe um grande espaço com Tubby. Na verdade, os dois cresceram no mesmo bairro no centro de Kingston, e desfrutaram de uma longa amizade. 'Merry Up' foi em grande parte o resultado de sabotagem: Brown construiu o riddim no estúdio Dynamics para uma música que ele produziu com Ken Boothe e BB Seaton, " Welcome To My Land ", mas um produtor rival tinha apagado os vocais quando ele voltou para a estúdio com dinheiro para recuperar a fita. Ele chamou Joe White para tocar um pouco de escaleta na música, e fez as linhas de voz. Mas o último mix-down foi feito por King Tubby em seu estúdio, e da forma como Tubby introduz a canção com uma dose de atraso aguado significava que ele estava carimbando sua identidade em todo a gravação.


Lloyd & Kerry - ‘Tubbys In Full Swing’
(High School/Attack 7”, 1972) 

O dub abriu todos os tipos de possibilidades para a experimentação de áudio, incluindo piadas audíveis. Esta gravação malandra, creditada os vocais a Carey 'Wildman' Johnson e o cantor Lloyd Young, foi produzido por Tony Robinson 'Prince', e é provavelmente o primeiro a referenciar King Tubby pelo nome. Quando a música começa a tocar, Johnson dá um selvagem grito na introdução, o tipo de coisa que você pode ouvir em um evento de sistema de som; alguns versos dos Staples Singers 'I’ll Take You There' no começo e Johnson coloca um fim, e um tambor reverberando da espaço para um órgão reggae e trombone instrumental. Este tipo de truque de áudio não era comum fora da Jamaica, e King Tubby foi um pioneiro do processo.


Augustus Pablo - ‘King Tubby Meets Rockers Uptown’
(Yard Music/Island 7”, 1975)
Embora suas primeiras produções foram feitas no Randy's e Dynamics, Augustus Pablo tinha uma grande afinidade com King Tubby e a maioria de seus maiores dubs foram mixados no estúdio de Tubby. Essa parceria ecoa na faixa de Jacob Miller, 'Baby I Love You So', uma prévia da composição de Pablo 'Cassava Piece'; Tubby modificou tudo, deixando alguns fragmentos do vocal de Miller, em vez de se concentrar no bumbos de Lloyd 'Tin Legs' Adams, deixou um baixo pulsante, e a melodica e teclado em partes desconexas . O resultado foi tão surpreendentemente excelente que o dub foi lançado no lado A do single.

Fatman Rhythm Section - ‘King Tubby’s Version’
(Arab/Ty Disco Rockers 7”, 1975)

Depois de não conseguir produzir uma versão crível de sua própria ‘None Shall Escape The Judgement’, o cantor de Greenwich Farm, Earl Zero começou a gravar esporadicamente para produtores independentes. Sua música ‘Please Officer’ (o título é um equívoco , uma vez que ele fala dos ‘Peace Officers’ (oficiais da paz) na música) foi o primeiro gravado por Ian e Roger Lewis do Inner Circle , e tornou-se uma música obscura tão influente que Jimmy Cliff, fez uma versão de sua autoria. O single original veio com um dub minimalista mas altamente eficaz, com o nome de King Tubby no título.

The Aggrovators - ‘A Rougher Version’
(Jackpot 7”, 1976)

Desde que Bunny Lee ajudou King Tubby para estabelecer seu estúdio e lhe deu o impulso inicial para gravar, faz sentido que Lee iria ficar a maior parte da produção criativa de Tubby. Lee ajudou Johnny Clarke a se tornar uma grande estrela por ter gravado a música de Earl Zero ‘None Shall Escape The Judgement’, que foi gravada e mixada pelo próprio King Tubby; a música de Clarke ‘Don’t Trouble Trouble’ é um de seus maiores sucessos para Lee, e embora a canção foi gravado como uma farpa musical que visa a cabeça de Jacob Miller (ao invés daa atração de vida do vândalo, como em seu igualmente excelente ‘Don’t Want To Be A Rude Boy’), o lado B de Tubby é puro dub mágico, com fogo de metralhadora, ruídos submarinos e outros sons assustadores de detonação no topo de um riddim do Aggrovators, com o seu maravilhoso horn fanfare (trombetas).


Tommy McCook - ‘Death Trap’
(Prophets 7”, 1976)

Yabby You aka Vivian Jackson, foi outra figura musical que sentiu uma forte afinidade com King Tubby. Quase todos os seus dubs foram mixados no estúdio de Tubby, a maior parte de seu trabalho também foi gravado lá, e de fato Tubby é o homem que deu a Jackson seu invulgar e duradouro apelido quando ele começou a gravar aproxidamente em 1972. Tal como acontece com Glen Brown, o desfigurado fisicamente Yabby You teve muitas idéias , mas com pouco tato para finanças, muitas vezes batalhando a vida, ou apostando em corridas de cavalos. Algumas das primeiras produções de Yabby baseou-se em riddims adquiridos de Bunny Lee; ouvintes interessados ​​notaram que a flauta estranha de Tommy McCook, 'Death Trap', usa o mesmo riddim de Linval Thompson 'Big Big Girl'; ambos apresentam o estilo flying cymbal (chimbal) que estava dominando a Jamaica em 1974-5, com base em um padrão de chimbal aberto e fechado, adaptado da música tema do programa Soul Train. Para ter uma idéia melhor da arte de Tubby , ouça a versão, 'Living Style', credita a ele.

I Kong - ‘Zion’s Pathway’
(Top Ranking/Cavlip 12”, 1978)

Errol Kong, sobrinho do lendário produtor chinês-jamaicano Leslie Kong, começou a gravar como Ricky Storme e mais tarde tomou o nome que I Kong, em referência à sua ascendência Africana e sua adesão à fé Rastafari. ‘Zion’s Pathway’ é uma das músicas mais marcantes da era roots reggae, co-produzido por Geoffrey Chung com uma infinidade de músicos talentosos , incluindo membros do Third World e alguns dos melhores metais da Jamaica, mas não foi amplamente distribuíd , e continua a ser um clássico um pouco esquecido (embora uma reedição recente da Iroko possa resolver sua obscuridade). Sua versão extendida no 12inch faz uso máximo de parte dub Pat Kelly, um dos maiores dubs que ele já mixou no estúdio de King Tubby.

Mikey Dread & the Instigators - ‘Robbers Roost’
(40 Leg 7”, 1978)

Michael Campbell mudou a forma de rádio jamaicana com seu Dread at the Controls na JBC, que tocava nada mais do que reggae jamaicano, a noite toda em determinados dias da semana, durante o final dos anos 70. O show atraiu um culto de seguidores em todo o mundo, com a banda Clash tornando-se grande fã dele. E quando o re-nascido Mikey Dread começou a entrar em produção musical própria, King Tubby foi uma grande parte da experiência. ‘Robbers Roost’ é um dub fascinante de Edi Fitzroy ‘Country Man', em si uma excelente música, mas dado o tratamento de Tubby completo com efeitos sonoros esse saltam fora de seus alto-falantes em todas as direções.

King Tubby - ‘Cus Cus Dubwise’ aka ‘Dread Dub’
(Tads/Vista Sounds LP, 1981)

Lloyd Robinson primeiro gravou a censurada 'Cuss Cuss' para o produtor Harry J em 1968. A canção era tão à frente de seu tempo que ele ainda soava atual no final dos anos 70, quando uma série de outros artistas regravaram a música, incluindo Horace Andy para o Wackies. Não é inteiramente claro quando King Tubby mixou "Cus Cus Dubwise", também conhecida como 'Dread Dub' ( ou, na verdade, se realmente Tubby mixou, ou outro engenheiro em seu estúdio). O produtor sediado em Nova York Tad Dawkins foi quem a colocou em um alguns de seus álbuns. Mas em qualquer caso, o próprio dub é poderosamente impressionante, sendo o baixo uma grande parte da música, sobressaindo sobre o restante dos instrumentos.

Anthony Red Rose - ‘Tempo’
(Firehouse 7”, 1985)
Protegido de Tubby, Prince Jammy tornou-se o homem do momento depois que ele lançou 'Under Mi Sleng Teng' em 1985. Os processos de produção mudaram durante a noite, e Tubby atualizaou seu estúdio para começar com o programação de músicas . Embora tenha permanecido na sombra de Jammy por grande parte dos anos seguintes, ele começou a produzir sucessos significativos, dos quais o mais notável é certamente ' Tempo', a música de Anthony Red Rose sobre a batalhas dos sistemas de som. O próprio título é, aparentemente, um equívoco, uma vez que Anthony fala da "paciência" (ou temperamento) dos soundmens, ao invés do 'tempo' de uma música.


Barry Brown / King Tubby - Mouth A Talk (7", RE, Ltd)
Label:Eek-A-Mouse Records
Cat#: EKM004
Media Condition: Near Mint (NM or M-) 

R$55.00
+ shipping


Rupie Edwards - Ire Feelings (Skanga) (7", Single)
Label:Cactus
Cat#: CT 38
Media Condition: Very Good Plus (VG+) 

R$50.00
+ shipping


King Everall* - Automatic (7", RP, Sta)
Label:Firehouse
Cat#: none
Media Condition: Mint (M) 

R$42.00
+ shipping


King Everall* - My Sound (7", RP)
Label:Firehouse
Cat#: F.H. 07
Media Condition: Near Mint (NM or M-) 

R$42.00
+ shipping


Anthony Red Rose - Worries Again (7")
Label:Firehouse
Cat#: none
Media Condition: Near Mint (NM or M-) 

R$50.00
+ shipping


Little John - A We Rule (7")
Label:Firehouse
Cat#: none
Media Condition: Near Mint (NM or M-) 

R$50.00
+ shipping


Anthony Red Rose - Tempo (7")
Label:Firehouse
Cat#: none
Media Condition: Near Mint (NM or M-)
Some marks whith marker in the label. 

R$60.00
+ shipping


King Kong - AIDS (7")
Label:Firehouse
Cat#: none
Media Condition: Near Mint (NM or M-) 

R$50.00
+ shipping


Escrita por David Katz. Originalmente publica em http://www.factmag.com/2015/05/19/king-tubby-beginners-guide-dub-reggae/


  Twitter   https://www.instagram.com/fyadub_fyashop/   http://www.youtube.com/fyadub  http://www.discogs.com/seller/fyashop/profile   http://fyadub.blogspot.com.br/p/fyashop-teste_22.html   fyadub@yahoo.com.br

DISQUS NO FYADUB | FYASHOP

O FYADUB | FYASHOP disponibiliza este espaço para comentários e discussões das publicações apresentadas neste espaço. Por favor respeite e siga o bom senso para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas... PS. DEUS ESTÁ VENDO!