sábado, 2 de abril de 2016

SKATALITES - O NASCIMENTO DE UM GÊNERO


Originalmente publicado em 2003, o livro "Solid Foundation: An Oral History of Reggae" de David Katz, se tornou uma fonte essencial de pesquisa quanto se trata de música jamaicana. Em 2013, David Katz revisou e expandiu o livro, fazendo também uma cobertura sobre a era pós-"Sleng Teng" até o novo milênio. O livro também é deslumbrante, ver fotos raras em uma impressão completa feita em papel fotográfico pela primeira vez. Para celebrar o relançamento do livro, Katz graciosamente publicou um trecho do segundo capitulo do livro revisado, tratando sobre o ano que mudou com Skatalites criando um novo gênero na música, fazendo alguns registros massivos de suas músicas e se separando.
The Skatalites ainda se distinguem de ter iniciado o ato e ser o grupo associado mais próximo com o formato do ska. O grupo ficou junto por apenas 14 meses a partir de Junho de 1964, mas a maioria dos membros da banda tocavam juntos regularmente desde os anos 40. O núcleo incluida o saxofonista tenor Roland Alphonso, o saxofonista alto Lester Sterling, o trombonista Don Drummond, o trumpetista Johnny “Dizzy” Moore, o baterista Lloyd Knibb, o baixista Lloyd Brevett, o guitarrista Jerry Haynes (AKA Jah Jerry) e o pianista Jackie Mittoo.

Apesar de primeiramente ter se oposto a idéia, e ter ressalvas quanto ao formato do ska em geral, o talentoso saxofonista e arranjador Tommy McCook eventualmente foi persuadido por  Coxsone Dodd, após um período de oito anos liderando uma banda de jazz nas Bahamas.


Roland Alphonso contou que a maioria dos membros que tocaram juntos antes no Kingston Pier na rua informal de jogatina chamada Coney Island, e também tocaram nas noites em lugares como o Orange Bowl. "Nos conhecemos quando éramos adolescentes", revelou Alphonso em uma viagem a Londres, pouco antes de sua morte em 1998. "Knibb morava em West Street, Brevett morava com seu pai e eu estava morando em Jones Town. Nós estavamos tocando em Coney Island seis noites por semana". 

Depois de sua primeira apresentação como os The Skatalites no Hit Hat Club em Rae Town, o grupo rapidamente teve shows por toda a cidade. A residencia sequente no Bournemouth Club, onde Lee Perry  se juntou ao grupo na percussão, é legendária pelas performances eletrificantes. A intensidade foi capturada em suas gravações de estúdio, a maioria gravada para Coxsone Dodd, muitas encapsuladas como o melhor da possibilidade do ska na música.


A batida acelerada do Skatalites como em “Tear Up” (baseada na música “Fat Back” de Mongo Santamaria), com floreios de solo rápido de Alphonso, parecia refletir o otimismo da independencia da ilha; outras, como as estridentes “Ball of Fire” and “Guns of Navarone,” simplesmente mantem o calor musical desenfreado. As composições de McCook como a “Cow and Gate,” tendia para o espaçoso, assim como seus solos discretos, que muitas vezes favorecia as notas mais baixas na escala. 

Quando McCook e Alphonso negociavam os solos como em “Black Sunday,” “Trotting In” e “Hot Cargo,” o contraste sempre foi revigorante; Moore e Sterling, ficavam mais no background, mas contribuim com solos em canções apaixonantes como “Killer Diller” e “Beardman Ska,” e em uma adaptação de “Live It Up” do pianista americano de boogie, Ernie Freeman.

Assim como o Ska, The Skatalites foi criado a partir de uma piscina de disparates cheia de influencia. Os membros do grupo explicam que algumas de seus maiores sucessos no Studio One foram baseados em músicas latinas que Coxsone pedia para adaptar. “‘El Pussy Cat’ veio de Cuba,” diz Roland, se referendo a original de Mongo Santamaria. Coxsone me deu e disse; 'Rolie, escreva essa canção agora'- e eu escrevi."


"Coxsone usou um monte de canções cubanas e eu escrevia a canção em forma de ska," Lloyd Knibb relembra. "Nós geralmente pegavamos essas canções, porque uma forma de staccato estava acontecendo no ska."

Brevett menciona Santamaria do álbum El Pussy Cat, com uma importância particular, nele tinha “Hammer Head,” música que os Skatalites transformaram em “Phoenix City,” bem como a faixa título que foi mencionada acima. De fato, pra Coxsone, ele adaptou pelo menos uma dúzia de canções percussivas criadas em Cuba e nos EUA. "Nós tocamos as canções como elas foram compostas", diz Roland, "mas nós rearranjavamos e nós tocávamos no nosso estilo de ska. Nós não copiávamos os solos". 

Jazz sempre foi a maior fonte de inspiração para o The Skatalites e para os membros fazendo covers que os moviam, como por exemplo a gravação de Roland de Horace Silver’ - “Forest Flowers” ou sua adaptação de Duke EllingtonCaravan” como “Skaravan.” Alphonso fala sobre sua alegria de dividir o palco com a banda de Count Basie em Nassau, e dando a John Coltrane sua maior admiração. "Coltrane é meu amigo, e eu erspeito ele e honro ele por suas músicas estarem na terra.". Lester Sterling nomeia Miles Davis, Dizzy Gillespie, Cannonball Adderley e Sonny Stitt como os músicos que se emocionou ao ver suas apresentações.


Embora a maior parte dos seus trabalhos tivessem sido gravados no Studio One, The Skatalites também gravaram material para outros produtores da era do ska. "Nós não assinamos contrato com ninguém, por isso ficamos livres" diz Alphonso. "Nós trabalhos com Duke Reid e King Edwards também. Nós fizemos algumas coisas para Prince Buster também, mas Coxsone ficou com a maior parte porque eu tinha um contrato assinado com ele".

Coxsone disse que era impotente para impedir Reid de oferecer mais dinheiro ao músicos. "Não interessava quanto custasse, Duke achava uma forma de achar o dinheiro. Mesmo que eu tivesse um artista contratado, Duke continuava insistindo em usa-lo, por exemplo Don Drummon e Roland eram contratados por mim, mas então depois de um tempo você reconhece que o homem é um músico e essa é a única forma dele realmente ganhar, então deixe ele tocar, o que é diferente de vocalistas".
Don Drummond
Drummond sempre foi a maior força criativa do grupo. De acordo com documentação oficial, ele deixou a Alpha (School) seis semanas antes de se juntar a banda de Eric Deans, ele também tocou com o saxofonista alto Headley Bennett na Orquestra do saxofonista tenor Tony Brown, uma banda totalmente composta por estudantes da Alpha (School). 

As composições mais calmas de Drummond ofereciam uma não usual aplicação deu tom menor nos arranjos, talvez refletindo a personalidade angustiante de um homem que voluntariamente se internou no hospital psiquiatrico Bellevue em diversas ocasiões. “Confucius,” “Chinatown,” “Away from It All” and “Don Cosmic” são exemplos notáveis, suas pequenas mudanças de acordes e solos expressivos tingidas com tom de melancolia. Drummond também pediu para Knibb para emular o estilo burro (percussão) para as esquisitas “Dan De Lion” and “Addis Ababa,”o estilo ritmico de raiz africana permitindo uma expressão pessoal complexa.


A visão de Drummond deu a sua musica uma diferença emocionante, mas sua idiosincrasia comportamental tinha um lado volátil, e sua medicação pesada provavelmente exacerbou sua drásticas mudanças de humor. Clancy Eccles lembra alguns dos traços pecualiares do trombonista. "Por trabalhar com Coxsone, eu conheci Don Drummond na sua primeira sessão. Ele tocou uma canção chamada ‘That Man Is Back,’e eu trabalhei por oito meses com Don Drummond no palco depois disso. Por um tempo gravamos para o Federal (estúdio), eles estavam cavando aquele pedaço de terra, e Don foi para lá pegar um belo pedaço de barro e colocar em seu Ovaltine (ovomaltine). Don Drummond nunca comia nada quente - tudo frio, um monte de frutas e por ae vai. Um dia Roland e Johnny olharam em uma garrafa, lá tinha barro e um monte de coisas misturadas juntas, e Drummond disse: 'Supostamente as pessoas vivem em uma energia atômica, supomos então que você de construir atômos dentro de você" - e foi por isso que ele comeu barro. Para um louco, Drummond foi extraordinário - Eu não chamaria Drummond de louco. Existe outra história de Drummond tocando em Port Antonio, e o MC (mestre de cerimonia) diz: "E agora apresentamos Don Drummond", e Drummond se aproximou, de terno, e o abaixou o ziper e simplesmente urinou nele! Drummond era algo a mais. Drummond nunca usava sapatos - smepre usava um chapéu de feltro, ele parecia lindo, mas não usava sapatos. Ele era como um desses músicos de jazz americanos, apenas um tipo diferente de pessoa. Todas vez que ouvia Drummond tocar, eu ouvia alguma coisa boa."

No ano novo de 1965, a Jamaica ficou chocada com a notícia de que Drummond havia assinado sua esposa, a dançarina Anita Mahfood aka Maguerita. Ele foi enviado para o Bellevue, onde ficou internado até sua morte em 1969. O assassinato foi um momento trágico na história musical da Jamaica, e a prisão de Drummond teve outras repercussões: ela contribuiu para a separação do The Skatalites, em última análise sinalizando o fim do ska. 


A musicalidade profundo do The Skatalites significava que o grupo estava realmente sobrecarregado com talento. E estava, de alguma forma, foi o primeiro supergrupo Jamaicano. Então não é uma surpresa que o grupo tivesse dificuldade em sustentabilizar a si mesmo como uma entidade após Drummond e o assassinato, especialmente porque desde o principio o grupo já era ameaçado (de acabar). Como resultado das rivalidade internas, exacerbada por pressões externas e produtores que competiam, a banda se dividiu em duas após uma ultima apresentação em agosto de 1965. 

A separação o grupo significava que a era do ska havia acabado na Jamaica, mas 15 anos depois, um grupo de brancos e negros na Inglaterra reviveu a música dos The Skatalites e de Prince Buster no chamado 2-Tone Movement, uma década depois, americanos brancos trouxeram  a "terceira onda" do ska, e alguns grupos japoneses tiveram sucesso recriando o gênero. Além disso, os próprios The Skatalites reformaram a banda em diversas ocasiões e McCook e Alphonso tocaram ska até falecerem no final dos anos 90. 

Mas enquanto o ska continuava a ganhar audiência em todo o mundo fora da jamaica, ele praticamente desapareceu da sua terra natal. Na verdade, um ano depois da separação do The Skatalites, um novo estilo tomava a nação: o som calmo e espaçoso conhecido como Rock Steady.

Por David Katz - Artigo originalmente publicado @ http://daily.redbullmusicacademy.com/2013/03/skatalites-feature


Solid Foundation: An Oral History of Reggae 
Capa comum: 448 páginas
Editora: Jawbone Press (1 de dezembro de 2012)
Idioma: Inglês
ISBN-10: 1908279303
ISBN-13: 978-1908279309
Dimensões do produto: 15,2 x 2,9 x 21,6 cm
Peso do produto: 930 g
Avaliação:



DEIXE SEU COMENTÁRIO AQUI NO SITE

DISQUS NO FYADUB | FYASHOP

O FYADUB | FYASHOP disponibiliza este espaço para comentários e discussões das publicações apresentadas neste espaço. Por favor respeite e siga o bom senso para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas... PS. DEUS ESTÁ VENDO!